Google + É A ESCLEROSE MÚLTIPLA OU O EMOCIONAL? ~ A VIDA COM ESCLEROSE MÚLTIPLA

Youtube

21 de set de 2018

É A ESCLEROSE MÚLTIPLA OU O EMOCIONAL?



Oiê amigos queridos, amorecos, espero de coração  que estejam bem. Estive longe, afastada, sem escrever aqui, nem ali. O motivo de ficar longe por todo esse tempo é que em minha vida houve uma mudança muito grande e não sei explicar exatamente o que me afastou, mas me afastou.Bom, tenho a impressão que tenho dificuldades em lidar com mudanças, principalmente quando essa interfere em minha rotina e foi exatamente o que aconteceu. Meu marido passou a trabalhar no turno que eu mais gosto de fazer as coisas, a noite, ou seja, chego em casa cansada das minhas atividades e não tenho mais a ajuda do Baby que me dava um super apoio (além do paparico) e ainda sobrava energia para fazer as coisas que gosto, hoje nem tanto, tenho que me virar o dia todo para conseguir realizar minhas atividades e a noite pra não passar tanto tempo só, acabo ficando com minha irmã, meu cunhado e as crianças, que me ajudam muito, em tudo que eu preciso. Confesso a vocês que tem dias que tudo fica mais difícil, pesado, são aqueles em que a EM resolve me lembrar que ela está aqui, então, de repente, sinto vertigem, minha perna fica muito pesada, a visão fica embaçada, a perna com formigamento ou com sensação esquisita, nessas horas o desânimo bate de frente, porque você pensa: "Por que tem que ser tudo tão difícil?"E aí você faz um super trabalho mental e modifica a frase lembrando do trabalho sensacional de um amigo, companheiro de luta : "Se fosse fácil não teria graça! "É verdade, sempre fui uma pessoa positiva, nunca gostei de reclamar, sempre fui uma pessoa muito pra cima e alegre, que nas adversidades tirava uma lição e dava a volta por cima sempre, ficar triste nunca combinou comigo, só que ultimamente ando tendo um pouco de dificuldade de me erguer sozinha.Vou fazer outra confissão a vocês, fiz quase dez anos de terapia com uma psicóloga que me acompanhava sempre, nesses últimos tempos nos víamos de 15 em 15 dias, havia meses que acreditava não mais necessitar daquelas conversas, mas no mês seguinte, lá estava eu precisando demais dos nossos papos.
 Ela, a minha psicóloga se aposentou e parou de atender no início desse ano, me indicou outras que não deram certo com o meu horário, portanto, estou órfã.Acredito que para carregar o nosso pacote de doença crônica, com a nossa vida particular, estresse do dia dia, um acompanhamento psicológico é mais do que essencial.
Sei que muitas vezes o custo desses tratamentos são bem altos, inclusive nesse momento pra mim está fora do orçamento, porém depois do meu último episódio de exacerbação dos sintomas onde precisei contactar meu Doutorzinho que ao saber das minhas queixas, como instabilidade ao mover a cabeça, uma vertigem que piorava no final do dia, sensação diferente de sensibilidade no polegar direito e na perna esquerda, pediu que a Dra Roberta me examinasse. Porém, ela estava ausente e me encaminhou para fazer uma ressonância magnética de encéfalo. Ontem recebi o exame e como já havia desconfiado, a EM está quietinha, sem nenhuma lesão nova, nem antiga em atividade. Nenhum sinal de atividade da esclerose múltipla. 
Logo que li o laudo, pude ter a absoluta certeza de que tudo que eu estava sentindo naquela semana, havia sido causado devido ao meu estado emocional, que por vários outros motivos, não apenas esse descrito acima, eu havia desencadeado todo aquele mal estar. 
Confesso a vocês meus amorecos que essa não foi a primeira vez que fiquei assim e o resultado "grace à Dieu" foi o mesmo, RM normalzinha, sem nenhuma alteração ou mudança. Isso é ótimo por um lado, pelo outro não é tão bom assim,  significa que a EM está estabilizada, porém o meu psicológico está o contrário, nada estabilizado e me causando muitos sintomas chatos. Além de tudo que já comentei aqui, meses de dores de cabeça. Tenho a impressão que não estou dando conta de segurar a barra sozinha, parece que tudo que segurei até agora, em todas as dificuldades que passamos, dessa vez estou desmoronando, as vezes me sinto com as energias esgotadas. Mas aí vem o resultado de uma ressonância e um e-mail do seu Doutorzinho dizendo que ficou contente por não ser a EM mas,  ao mesmo tempo mostrando a importância que tem eu me livrar desse problema emocional que aflora a ansiedade, a irritabilidade, a tristeza e outros sentimentos ruins.
Pedi indicação de uma profissional que possa me acompanhar para uma amiga que também carrega o kit EM, infelizmente ela está de férias e sua secretária pegou meu telefone e disse que na sua volta ao trabalho tentará um horário para  mim. Confesso que já estou ansiosa ...rs 

Acredito que tratar a saúde mental é necessário para qualquer pessoa e no nosso caso então tive a prova nítida disso. 

E vocês amores? Cuidam da mente? Tratam a saúde mental com terapias, meditação ou alguma outra alternativa?
Contem aqui nos comentários.
Vou deixando vocês por aqui, desejando um ótimo final de semana!!!
Um milhão de beijinhos e até mais...




Um comentário :

  1. Oi, Fabi! Vi que você tem passado por dificuldades semelhantes às minhas. Estarei em São Paulo em breve, na próxima semana. Quero conhecer o MASP, o bairro da Liberdade e comer uma pizza boa. Quem sabe nos encontramos? Escreve para mim no rorena86 do gmail. Beijos

    ResponderExcluir

Qualidade Vivida

Qualidade Vivida
Qualidade Vivida