Google + O CALOR E A ESCLEROSE MÚLTIPLA ~ A VIDA COM ESCLEROSE MÚLTIPLA

Youtube

22 de nov de 2010

O CALOR E A ESCLEROSE MÚLTIPLA

Oi gente tudo bem? Estou bem, um pouquinho chateada, mas não é nada demais, apenas problemas de gente grande.
 Mas esses dias fiquei super sossegada, acredito que os tais formigamentos são mesmo da TPM, pois já senti um pouco de tontura também, coisas que acontecem quase sempre antes da minha "monstruação" dar o ar da graça.
E para ajudar, o verão está chegando e para nós que temos a esclerose múltipla como companheira, na maioria das vezes sofrem com essa estação calorosa do ano.
No ano passado, para quem não sabe eu ganhei um texto super interessante escrito pelo Dr. Leonardo de Deus Silva da UNICAMP e fiz uma resenha e postei aqui pra vocês. Depois da mudança do nome do blog, a pesquisa não está achando todos os posts, então achei importante colocá-lo novamente.

"Ele começa dizendo que no verão as pessoas passam a maior parte do tempo sob o calor do sol equatoriano e assim exerce sua liberdade plena, portanto nos esclerosados isso causa um certo temor. Pois como já foi comprovado o calor exacerba os sintomas da esclerose múltipla. Lembram da história da banheira de água quente para diagnosticar a doença?
Esse fenômeno de apresentar os sintomas em função do calor é conhecido como fenômeno de Uhthoff, o mecanismo fisiológico que envolve essa manifestação ainda é pouco entendida, mas acredita-se que como acontece em pessoas que não tem esclerose múltipla, quando o corpo atinge uma temperatura mais alta as fibras nervosas mielinizadas tendem a ter uma transmissão mais rápida. Quando a temperatura corporal aumenta nos pacientes com esclerose múltipla essa transmissão nervosa que passa pelas fibras desmielinizadas tendem a ficar mais lenta em relação aos outros, o que faz levar aos sintomas. O importante é que essa piora de sensações não quer dizer necessariamente que seja uma piora da doença e sim “seqüelas” de áreas lesadas. Portanto esse desconforto tende a melhorar com a redução da temperatura corporal e não significam surtos.
Quando se fala em aumento da temperatura, estamos querendo dizer que não precisa ser apenas a temperatura externa como o calor que faz lá fora, que nos deixa assim, mas vale lembrar também do aumento dessa temperatura provocada por alguns fatores como a febre, a intensa atividade física, piscinas aquecidas e até a utilização de alguns dos medicamentos para a o controle da EM, como é o caso de alguns interferons que aumenta a temperatura do paciente logo após a injeção. Isso no caso do medicamento, tende a melhorar com o tempo e com a tolerância da pessoa ao remédio.
O que o doutor recomenda para enfrentar o calor, é que a gente evite exercícios que causem muito cansaço, banhos quentes e ficar muito tempo em exposição ao sol, principalmente nos horários de 11 às 15h. Sempre dar preferência a lugares climatizados com ar- condicionado, climatizadores ou umidificadores. Tomar muito líquido, principalmente água e também se render a cubinhos de gelo para aliviar o calorão e refrescar um pouco.

Se caso o calor te deixar mais cansado e com forte fadiga o doutor recomenda que cada um converse com o seu médico e quem sabe indique um medicamento que possa ajudar nesses sintomas, que isso também é possível se o médico que acompanha o seu caso achar necessário. Por isso, conversem com os seus doutorzinhos e expliquem tudo que sentem nesses dias quentes de verão e o quanto isso atrapalha o dia a dia de vocês.
No fim do texto como não podia faltar ele enfatiza a importância do sol para todos nós, inclusive para nós com esclerose múltipla. Já que o sol interfere positivamente no metabolismo do cálcio e da Vitamina D.
Bom gente ele escreveu esse texto para que possamos entender melhor o que acontece com a gente nesses dias quentes de verão que a gente não consegue ficar bem, formiga aqui, queima ali, a vista embaça, tudo roda e a mente fica meio fraca, o raciocínio fica lerdo e a concentração vai pro espaço.
O bom é que com essas informações podemos nos programar melhor para pegar uma piscina, ir à praia, explorar uma cachoeira quem sabe? Mas aproveitando da melhor forma possível o período de dias mais longos, o verão!!!"

Bom gente, esse foi o texto de quarta-feira, 13 de janeiro de 2010. Acho esse texto muito bom para o assunto calor e esclerose múltipla, então para quem não conhecia, espero ter ajudado com um pouquinho de informação.


Muitos beijinhos e até mais...




Em Tempo: Dr. Leonardo de Deus Silva é Médico Neurologista pela UNICAMP, Membro Titular da Academia Brasileira de Neurologia, Mestre e Doutorando em neurologia na UNICAMP, Fellow em Neuroradiologia pela Universidade de Ottawa, Canadá.

2 comentários :

  1. Oi Fabi, tudo bem???
    Adorei teu texto!
    Eu sempre amei o verão e detestava o inverno. Bem, isto antes da EM é claro. Agora fico torcendo que o verão passe rápido.
    Ai... as fadigas... hoje mesmo tive uma daquelas.
    Outra coisa que me incomoda é que desde o 1º surto, aí já vão uns 15 anos, qualquer calorzinho me faz suar demais, de pingar, é chato pacas... A médica da época me deu uma explicação acadêmica e complicada e eu não entendi nada. rsrsrsrs... Só lembro que ela falou em sistema nervoso simpático e parasimpático, imagine se fosse antipático. rsrsrsrs...
    Beijos eu uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  2. Oi Neyra,

    que bom que gostou do texto!!! Eu também sou do tipo que sinto de tudo no calor, queima o pé, formiga a mão essas coisinhas! Mas Deus nos livre se o nosso sistema nervoso fosse antipático!!! Essa foi ótima!!!
    Beijão querida
    Fabí

    ResponderExcluir

Qualidade Vivida

Qualidade Vivida
Qualidade Vivida