Google + QUEM NUNCA FOI CRIANÇA? ~ A VIDA COM ESCLEROSE MÚLTIPLA

Youtube

11 de out de 2013

QUEM NUNCA FOI CRIANÇA?

Oi gente, tudo bem? 
Essa semana foi inteira dedicada às crianças, programas na tv, filmes, redes sociais, rádios e tudo mais.
O facebook ficou recheado de saudosismo da nossa infância todos reviram fotos de tempos muito diferentes de hoje.
Tempos que não havia essa tecnologia em tempo real e a distância de São Paulo à Brasília era quase outro país.
Quando a gente era criança e vinha passar férias em São Carlos na casa dos meus amados avós (quanta saudade) tinha uma padaria na esquina da casa da minha vó e eu nem sabia o que era uma esquina, porque Brasília não tinha isso e muito menos uma padaria por perto. Hoje eu sei que está tudo muito diferente.
Mas passar uns dias na casa da minha madrinha em Araraquara, era acordar cedo para ver o carrinho do Yakult passar e a gente tomar furando com um garfo o gargalo pra tomar bem devagarinho.
Ter sido criança em Brasília foi sensacional, a gente tinha uma rua inteira só pra gente brincar e não era uma rua qualquer era uma ladeira daquelas, com uma descida que terminava no lago Paranoá. Nos meus primeiros anos de vida, menos casas, com mais idade mais vizinhos, muito mais amigos e muita, mais muita diversão.
Brincar na rua era a melhor coisa do mundo, a gente ficava até a noite nas calçadas das nossas casas. Tinha dia que a gente escapava pra andar de bicicleta, se embrenhar no mato, explorar outras ruas....rsrs
Ir ao shopping era raro, as vezes a gente ia com os pais pra comer uma pizza. Ou numas férias diferente com os primos pra passear em outra cidade que não a deles e andar de patins no gelo!
O lance mesmo era a rua!
Fui uma criança muito sonhadora, eu queria ser artista, cantora era meu sonho, eu tinha o “Show da Fábia” rsrsrs
Que eu ficava em frente a uma porta enorme de vidro da sala de estar da minha mãe que me refletia era como a câmera da TV, o meu microfone era uma flauta que eu tinha e a programação eu cortava uns pedaços de cartolina. Nossa como eu me divertia com os meus amiguinhos imaginários....kkkkk
Uma vez eu me apresentei para os meus primos de Araraquara e minha prima de São Paulo, que são mais velhos e estavam passando as férias em Brasília, como me divertia. Fui uma criança muito feliz, com umas esquisitices confesso, mas feliz. Adorava trocar de roupa de meia em meia hora, virava o guarda-roupa. Minha mãe conta que ficava muito brava, mas não adiantava muito, eu adorava enfiar um monte de roupa. Esquisito não é?
Ainda ontem na minha aula de francês a minha prof. perguntou o que a gente leu quando era criança e eu me lembrei na hora do “Meu Pé de Laranja Lima” do escritor José Mauro de Vasconcelos e de como eu amava conversar com o abacateiro que tinha no jardim, eu me empoleirava nele e ficava batendo papo! Sempre conversei comigo mesma, desde pequenininha.
A vida de adulto é muito chata, quando se é criança a gente quer ser gente grande logo, mas quando chega essa hora a gente se vê em cada enrascada, mas uma coisa dessa vida de gente grande eu aprendi é tão bom ser infantil de vez em quando, falar besteira, rir de você mesmo, dançar sem coordenação, cantar, brincar de roda, espernear, fazer birra, ou seja, de tudo um pouco sem exagero é válido.
Ontem mesmo, cheguei em casa cansada depois de 2h de francês puxado, recebi uma visita inesperada da minha princesinha mais nova a Manuella que sem querer pegou o meu cd do Saltimbancos que amo, e falou pra eu colocar, pra que ela me pediu isso, fui cantando até ela se interessar, quando dei por mim a gente estava dançando e ela dando risada dos barulhos dos bichinhos, puxou o tio Cris e brincamos de roda!!!
Ah, quer ver felicidade, é ver essas pequenas! O meu dia é outro quando a alegria dessas princesas me envolve!
A preocupação vai pro espaço, o cansaço pro mundo da lua e a EM vai pegar carona na calda do cometa e bye bye já era...

É isso aí gente vou aguardar vocês me contarem as esquisitices de vocês tá?


Mil beijinhos açucarados de algodão doce e até mais pirulitos...

6 comentários :

  1. Minha infancia,quanta saudade.Bem a rua era tudo de bom e eu nasci e morava em Carangola uma cidade do interior de MG,tive que mudar por motivos de trabalho mas continuo no interior de MG,só que numa cidade um pouco maior.Bem voltando a minha infancia,não posso reclamar de nada porque foi a melhor fase da minha vida.Brincava de pique,pular elástico,de casinha na praça,de bicicleta e até quebrei o braço pulando o muro lá de casa achando que era super herói para comprar pirulito e bala de chiclete e fora quando eu ia na roça e fazia bolinho de lama e me sujava toda e andar de charrete,bem isso até eu descobrir que era alérgica a pêlos de cavalo e por aí vai.Bem isso foi uma parte da minha linda infancia,quanta saudade daquele tempo.Beijos querida,Zildelena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi querida nossa que delicia ler esse seu comentário, me senti na sua rua! Então quer dizer que era uma menina arteira né? Ah como é bom recordar daquele tempo! Muito obrigada pela sua contribuição além de ter sido um prazer participar dessa lembrança com você querida Zildelena! Beijos e ótima semana

      Excluir
    2. Oi querida nossa que delicia ler esse seu comentário, me senti na sua rua! Então quer dizer que era uma menina arteira né? Ah como é bom recordar daquele tempo! Muito obrigada pela sua contribuição além de ter sido um prazer participar dessa lembrança com você querida Zildelena! Beijos e ótima semana

      Excluir
  2. Legal. Achei seu site devido ao seu comment no post "planeta boiando no espaço" do Observatório do G1. Li alguns textos daqui e achei bacana a forma como vc lida com a doença. Espero um dia poder lidar tão bem com a minha.

    ResponderExcluir
  3. Oi Fabricio seja bem vindo! Que bacana você ter visto o meu comentário no blog observatório e ter deixado um comentário aqui no nosso cantinho! Obrigada por suas palavras se quiser compartilhar o seu caso me envie um email no avidacomesclerosemultipla@gmail.com
    Será um prazer!!!
    Abraços
    Fabi

    ResponderExcluir
  4. Oi Fabricio seja bem vindo! Que bacana você ter visto o meu comentário no blog observatório e ter deixado um comentário aqui no nosso cantinho! Obrigada por suas palavras se quiser compartilhar o seu caso me envie um email no avidacomesclerosemultipla@gmail.com
    Será um prazer!!!
    Abraços
    Fabi

    ResponderExcluir

Qualidade Vivida

Qualidade Vivida
Qualidade Vivida