Google + CIÊNCIA - O REAL DA FICÇÃO ~ A VIDA COM ESCLEROSE MÚLTIPLA

Youtube

14 de mar de 2011

CIÊNCIA - O REAL DA FICÇÃO

Oi gente tudo bem? Eu tive uma grande surpresa nesse fim de semana. Me sentindo perdida como eu estava, resolvi passear pelo site do diário oficial, pois no carnaval nem entrei, pensei que não havia nada de novo nessa época do ano.
Mas para a minha surpresa, quando fiz a pesquisa com o meu nome, logo apareceu que " readaptações autorizadas pelo chefe de gabinete", isso mesmo meus queridos! Saiu a minha tão esperada readaptação!
Ainda não sei de mais nada, pois foi em plena a madrugada de sábado que fiquei sabendo, mas os manterei informados quando eu souber alguma coisa a respeito!
Mas vim aqui hoje, participar a vocês um artigo que meu pai me enviou por email que achei sensacional sobre o trabalho daquelas pessoas que em qualquer parte do mundo estão queimando os seus neurônios para ajudar que os nossos continuem firmes e fortes. Isso mesmo, o artigo trata da neurociência e seus estudos atuais.
Então vamos a ele:

Não é ficção
Postado Por Rogério Tuma Em 12 de março de 2011 (11:05) Na Categoria Saúde

As inovações da neurociência que vemos em filmes como Avatar  já são pequenas diante dos avanços reais da ciência.
Ao assistir ao filme Avatar, percebi que o público leigo já entende bastante de neurologia, a conexão entre o bulbo que fica na base do crânio com um axônio externo gigante de um pterodonte moderno, o uso de exoesqueletos para aumentar a força e proteção em ambientes hostis, e o principal personagem, um avatar em carne e osso, ou sei lá o quê, não só sob seu controle mas com sua alma incorporada, são todas linhas de pesquisa neurológicas já existentes para que pacientes com alguma deficiência física possam tê-lo corrigido.
Além dos aparatos físicos, existem, porém, outras dezenas de linhas de pesquisa. Há grupos de estudos, seguidores de uma orientação de pensamento científico, que utilizam recursos já existentes na natureza humana para reforçar processos naturais e, com isso, corrigir deficiências. Nos últimos dias, diversas pesquisas foram publicadas, demonstrando que um boom em soluções para problemas neurológicos pode estar próximo. Tudo isso se torna possível na medida em que evoluem a ressonância magnética funcional, a tomografia por pósitron, os estudos sobre o metabolismo cerebral e a capacidade de processamento dos computadores, que hoje permitem a criação de imagens tridimensionais dos neurônios e suas conexões.
Um estudo da Universidade da Pensilvânia (EUA), publicado na revista Neuron, explica como proteínas que são produzidas no núcleo de um neurônio conseguem ser transportadas para uma terminação nervosa específica, escolhida entre as milhares que o neurônio possui. O doutor James Eberwine explica que existem fábricas de etiquetas dentro da célula. Essas etiquetas são sequências de aminoácidos que ficam grudados na proteína para identificá-la, o que faz com que a proteína chegue ao seu destino. No caminho, ela perde parte desses aminoácidos. É como se, em cada estação, o sistema de checagem retirasse alguns aminoácidos e enviasse a proteína para o próximo destino. Ao chegar lá, a proteína já perdeu a etiqueta, por isso estudos anteriores que avaliavam apenas as terminações nervosas não conseguiam encontrá-las.
Outra pesquisa deverá revelar em breve o conectoma do cérebro de um rato. O termo faz referência ao genoma, que é o mapa genético. O conectoma seria um mapa tridimensional de conexões do cérebro. Até agora, a revista Nature publicou apenas um pedacinho do córtex visual do rato. Mas Clay Reid, da Harvard Medical School- de Boston, e pesquisadores associados uniram duas técnicas para construir um mapa das conexões da massa cinzenta do cérebro do rato responsável pela visão. Primeiro, eles injetaram substâncias que medem a atividade metabólica das células da visão em um rato vivo. Depois, mataram o rato e cortaram a parte de seu cérebro responsável pela visão, cujo volume corresponde a oito milésimos de um milímetro cúbico, em 1.215 fatias. Fotografaram então cada fatia em um microscópico eletrônico que enxerga quase até o nível das moléculas. Ao juntar os 3 milhões de imagens conseguidas, os pesquisadores reconstruíra m- a imagem em 3D em um computador. Aquele mínimo pedacinho de cérebro, no momento em que foi ativado por um feixe de luz, gerou 40 terabytes de informação e permitiu que dez neurônios fossem avaliados, criando uma nova área da neurociência: a “conectonomia funcional”.
Outro estudo, também publicado na edição de 10 de março da revista Neuron, mostrou que o liquor, o líquido que banha o cérebro e a medula, é muito mais que um simples sistema de absorção de impacto para evitar que o cérebro se choque contra o crânio. É composto de diversas proteínas e, entre elas, existem substâncias que estimulam e orientam a divisão de neurônios. Um estudante, Zappaterra, e dois cientistas, Walsh e Maria Lehtinen, comparam o liquor de embriões humanos com o liquor de adultos. Descobriram que quanto mais jovem o ser humano maior é a concentração de uma proteína chamada fator de crescimento tipo insulina, o Igf2. Esta proteína, quando colocada em cultura de neurônios, provoca intensa divisão celular com criação de novas células. Os pesquisadores descobriram também que pacientes com glioblastoma multiforme, o tipo mais agressivo de tumor cerebral, possuem altos níveis desta proteína no liquor. Se estiverem certos os autores, o estudo traz grandes avanços. O Igf2 pode ser utilizada na regeneração do sistema nervoso em pacientes com lesão medular, acidente vascular ou esclerose múltipla. E, se conseguirmos bloquear o Igf2 em pacientes com tumores cerebrais, inibiremos o seu crescimento.
Podemos enxergar com esses poucos exemplos um holofote no fim do túnel, estamos nos aproximando rapidamente de um final, ou melhor, de um reinício feliz de vida para os milhões de pacientes que sofrem com alguma sequela neurológica.
Fonte: http://www.cartacapital.com.br/saude/nao-e-ficcao


Mais uma ótima notícia pra todos!!
Hoje vou ficando por aqui meus queridos.
Tenham uma ótima semana!!!
Mil beijinhos e até a próxima

9 comentários :

  1. Oi Fabiana,
    Que bom que saiu a readapatação para você. Mas você vai voltar a trabalhar agora em outra função?
    Você estava de licença médica?!? Eu também, depois de muita luta consegui a readaptação funcional (por 180 dias) e pode ser renovada. Para ser definitiva precisa de no mínimo dois anos. Vamos ver... Mas estou em apoio à coordenação e trabalhos pedagógicos. Estou adorando. Tomara que seja bom para você tbm. Depois vc conta mais.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Fabiana! Seu blog está muito interessante! Eu não entendo deste negócio de readaptação, estou tentando entender, mas acho muito interessante o texto do avanço da medicina! Fico pensando se um dia vai ter um jeito de quem tem EM não sentir este cansaço grande... Tem um remédio que minha médica recomendou para combater a fadiga, mas, só tomei 1 vez, pois eu fiquei acordada 24h, fazia um monte de tarefas, mas eu fiquei sentindo meu corpo todo dolorido.

    ResponderExcluir
  3. Que notícia MARAVILHOSA amiga!!!
    Não disse que mais cedo ou mais tarde sua readaptação iria sair???
    Fiquei muito feliz por vc, muito mesmo...
    Grande beijo minha querida!!!

    ResponderExcluir
  4. Oi Fabi, minha querida!!!
    Fico feliz com relação a tua readaptação, porque sei que é algo muito importante prá ti, embora não entenda o que é. Vais te aposentar? Trabalhar menos horas? Trabalhar com outra coisa na área da educação? Burrinha eu, desculpa, tá?!!!

    Quanto ás pesquisas são realmente muito interessantes, pena que demoram tanto.
    Mas me alegra saber que futuras gerações poderão tratar, curar ou quem sabe até previnir a EM e outras doênças neurológicas.

    Minha consulta foi ontem. Fique muito feliz porque meu Doutor, foi pessoalmente falar comigo.
    Ele aumentou bastante a dose da cortisona via oral, por uma semana, quando vou consultar novamente. Se não melhorar, ele decidirá o que fazer.
    Mas tenho certeza que vou melhorar! Ele é fera, sabe o que faz. Só de vê-lo eu já me sinto melhor. A presença e o carinho do meu Doutor faz mais efeito que qualquer tratamento para mim.

    Beijos lindinha!!!
    Carinho,
    Neyra.
    Paz e Luz.

    ResponderExcluir
  5. Oi Drika
    então no meu caso é um pouquinho mais complicado. A sede do meu trabalho fica numa cidade há mais de 100 km daqui, ou seja, eu precisei morar lá quando estava dando aula, e morar sozinha não foi uma boa. Vou contar um dia aqui pois a história é grande.
    Portanto a minha readaptação é para trabalhar aqui em São Carlos, ainda não sei em qual função.
    Eu estava de licença desde 2008, mas que o meu médico pediu a readaptação foi em 2010.
    Que bom que para você deu certo, agora é só seguir as normas e o seu acredito que será mais fácil. Mas definitiva nunca é né? Todas que saíram valem por 2 anos, sempre precisa renovar.
    Bom, estou aguardando mais notícias de Piracicaba.
    Obrigada pela força! Boa sorte pra você também!!!!
    Beijão
    Fabí

    ResponderExcluir
  6. Oi Lorena,
    espero que você tenha sucesso na sua busca pelo melhor emprego!!
    Obrigada pelo blog!
    Também gostaria que resolvessem o nosso problema de fadiga, mas de preferência sem tomar mais remédio, sei lá.
    Nunca usei nada pra fadiga, apenas dormir, dormir e dormir. Tenho um certo receio.
    A readaptação é para eu voltar a trabalhar em outra função na escola que não seja professora, mas ainda não sei o que vai ser, estou super ansiosa!!
    Beijão
    Fabí

    ResponderExcluir
  7. Oi Rê minha amiga querida
    notícia maravilhosa é a sua, fiquei super feliz por vocês!!!
    Mas você estava certíssima, saiu a tal da readaptação, agora só me falta ver o que vai acontecer, pois ainda não sei de nada!
    E a ansiedade já começa né???
    Não sei onde, que horas, quanto tempo, nada do meu trabalho!
    Mas acho que agora é rápido!
    Grande beijo queerida

    ResponderExcluir
  8. Oi Neyra querida
    burrinha nada viu, na educação é tudo muito obscuro....rs....mas você acertou! É pra eu trabalhar com outra função sem ser professora.

    Querida terminei de ler o seu comentário com lágrimas nos olhos, super emocionada, pois sei perfeitamente o que você me descreveu do seu médico. A gente sai muito melhor de uma consulta dessas. Tudo que nós esclerosetes precisamos é de alguém em quem confiamos, e quando o temos nos entregamos mesmo, nos sentimos protegidas não é???
    Acredito que isso já é 50% do tratamento, a nossa cabecinha já vai funcionar a nosso favor e tudo vai ficar bem!!!
    Graças a Deus temos os nossos doutorzinhos!!!
    E também tenho certeza que tudo vai dar certo querida, você está em todas as minhas conversas com Dieu antes de dormir, olha que Ele nunca deixou de me ouvir!!!

    Beijo enorme querida
    Com muito carinho
    Fabí

    ResponderExcluir
  9. OBRIGADA FABI!!!
    TU ÉS UMA PESSOA MUITO ESPECIAL!!!
    QUE DEUS TE ABENÇOE E A TODOS A QUEM AMAS!!!

    Beijos com carinho,
    Neyra.
    Paz e Luz.

    ResponderExcluir

Qualidade Vivida

Qualidade Vivida
Qualidade Vivida