Google + VACINAÇÃO DE H1N1 NA ESCLEROSE MÚLTIPLA ~ A VIDA COM ESCLEROSE MÚLTIPLA

Youtube

24 de abr de 2016

VACINAÇÃO DE H1N1 NA ESCLEROSE MÚLTIPLA





Oi queridos tudo bem com vocês? Por aqui tudo está bem. 
Como todos já devem estar sabendo, estamos tendo um surto da gripe H1N1 em alguns estados e muitos já colocaram nas redes sociais sobre quem tem EM tomar ou não tomar a vacina?
Bem, eu como já devem ter percebido, não faço quase nada a respeito de minha saúde, sem consultar meu doutorzinho.
Como já estava no dia de entrar em contato com ele, por causa daquelas sensações no joelho esquisitas, acabei desconfiando que podia ser por causa de meu periodo menstrual, então havia pedido à ele que aguardássemos mais um pouco. E foi o que aconteceu, 15 dias passaram, desceu minha monstruacao, e nisso fiquei num mal estar por 11 dias. Quando foi hoje, me lembrei que daqui uns dias ele retorna à Londres, então, liguei. 
Bem, contei que depois de onze dias naquele pinga pinga, a sensação desapareceu. Contei do meu mioma na parede do endométrio que é o motivo do sangramento e provável mal estar e piora dos sintomas da EM, que se não fosse o DIU estaria enrolada.
E aí perguntei da vacina da gripe H1N1. Ele me explicou que eu deveria tomar a vacina sim, pois tem um risco maior devido à EM e por usar o Gilenya. Porém mandou que eu tomasse a vacina quadrivalente com o vírus inativo, portanto não é a vacina cedida pelo governo e me explicou o motivo.
- Na vacina tríplice, fornecida pelo Ministério da Saúde, são imunizados para três tipos de vírus influenza e é composta por três cepas (espécies do vírus): uma cepa A/H1N1, uma cepa A/H3N2 e uma cepa B. O Ministério da Saúde optou por vacinar a população com a vacina trivalente na rede pública, devido à prevalência do vírus H1N1.
- Já a quadrivalente foi criada porque, o vírus H3N2 e a cepa B mudaram de 2015 para cá. O antídoto oferece a mesma imunização da vacina trivalente (cepa A/H1N1, uma cepa A/H3N2 e uma cepa B) e conta ainda com uma cepa B a mais, tornando-se mais completa que a trivalente. A vacina quadrivalente está disponível apenas na rede de saúde privada. 
De acordo com o infectologista Celso Granato, professor da Unifesp e diretor científico do laboratório Fleury, as pessoas que tomaram ou ainda vão tomar a vacina trivalente não precisam se sentir inseguras em relação a ela, pois ambas protegem contra o vírus H1N1, causador do surto de gripe. O que a vacina quadrivalente faz é proteger contra um tipo de vírus B que é muito difícil de afetar a população geral. Porém no nosso caso, que tomamos remédios imunossupressores, que a EM é autoimunitaria, acredito que é melhor prevenir do que remediar.

Quem são Pacientes crônicos e idosos

- Pacientes de qualquer idade que apresentem doença pulmonar ou cardiovasculares crônicas e graves, insuficiência renal crônica, diabetes melito insulino-dependente, cirrose hepática e hemoglobinopatias também têm prioridade para tomar a vacina. 
- Pessoas imunocomprometidas ou HIV-positivos, pacientes submetidos a transplantes, profissionais de saúde e familiares que estejam em contato com os pacientes mencionados anteriormente e pessoas de 60 anos. 

Importância da vacinação
A vacina contra o vírus influenza, tanto a trivalente quanto a quadrivalente oferece cerca de 70% de eficácia para quem é imunizado. "Isso não quer dizer que as pessoas não vão mais pegar gripes. Mas se pegarem, terão sintomas mais amenos e um sistema imunológico fortalecido", ressalta o infectologista Celso Granato.

Além disso, a vacina fortalece organismo contra os casos de pneumonia viral, bacteriana e também a Síndrome Respiratória Aguda. "Se o organismo está fraco, pode acontecer de o vírus se desenvolver com mais força e desencadear problemas que podem levar à morte", alerta a pediatra Andréa Lucchesi de Carvalho. 
Uma das possíveis hipóteses que explicam o surto de gripe é que o sistema imunológico da população estava "desacostumado" a criar anticorpos contra o vírus H1N1. "Ano passado sobraram vacinas contra a gripe, isso pode ter levado a uma queda nas defesas imunológicas da população e desencadeado um surto esse ano", opina Granato.  

Quais são os efeitos colaterais possíveis?
Tanto a vacina trivalente quanto a quadrivalente são aplicadas via intramuscular. Em vista disso pode acontecer a região ficar um pouco sensível no dia. Algumas pessoas também podem apresentar episódios de febre, mal-estar nas primeiras 24 horas.
É comum as pessoas acharem que a vacina causa gripe. De acordo com os especialistas, isso não é verdade, pois o antídoto é feito com o vírus inteiro inativo, em outras palavras, morto. Sendo assim, não haveria como a vacina ocasionar uma gripe. "O que acontece é que o vírus influenza está circulando no ar e pode acontecer de a pessoa estar com ele incubado no período em que tomou a vacina", explica a pediatra Isabella. É importante enaltecer que a resposta imunológica não é imediata e o organismo só começa a produzir anticorpos contra a gripe a partir de duas ou três semanas depois da imunização. 
MUITA ATENÇÃO À CONTRAINDICAÇÃO 
- As pessoas que apresentam hipersensibilidade ao ovo não podem tomar a vacina, pois o componente faz parte do antídoto. E pacientes que apresentaram alguma reação anafilática precisam se vacinar em ambiente hospitalar.

Como foi a assunto tratado hoje pelo telefone com meu doutorzinho, queria compartilhar com vocês algumas informações que reuni sobre esse assunto.
Vou procurar essa vacina quadrivalente por aqui em São Carlos, se alguém souber onde posso encontrar por favor deixe um comentário. Como no interior evitarem menos opções de tudo, imagine de uma vacina? Espero estar equivocada.
Se alguém já tiver tomado, por favor deixe sua experiência aqui para nós. 
Queridos vou deixar vocês por aqui. 
Desejando uma ótima semana à todos!!!!
Mil beijinhos e até mais....




12 comentários :

  1. alguém já tomou vacinas de gripe e dias depois teve surto? aconteceu comigo. mas não sei se tem alguma coisa relacionada entre a vacina e o surto.

    ResponderExcluir
  2. alguém já tomou vacinas de gripe e dias depois teve surto? aconteceu comigo. mas não sei se tem alguma coisa relacionada entre a vacina e o surto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Você chegou a perguntar para o seu médico ?
      Nunca ouvi nada a respeito. Mas também nunca tomei nenhuma vacina.

      Obrigada pelo comentário.
      Beijos
      Fabi

      Excluir
    2. Meu neuro me disse que três pacientes dele já tomaram e tiveram surto em seguida. Falou que fica a meu critério se quiser vacinar. Que se tiver surto ele pulsa. N sei o q é pior!

      Excluir
    3. Meu neuro me disse que três pacientes dele já tomaram e tiveram surto em seguida. Falou que fica a meu critério se quiser vacinar. Que se tiver surto ele pulsa. N sei o q é pior!

      Excluir
    4. Vixxxi Silmara, é disso que tenho receio!!!
      Ficamos numa situação, que nem sei o que pensar.
      Quero levantar essa, pesquisa no face. Vamos ver se consigo, uma ajuda.

      Muito obrigada pela dica.

      Se quiser Acompanhar facebook.com/avidacomesclerosemultipla
      Colocarei esses dias!!!

      Bjs
      Fabi

      Excluir
  3. Olá. Minha mãe tem esclerose múltipla e o médico dela falou que ela pode vacinar. Só que ela nunca tomou essa vacina e fico com medo de ela ter alguma reação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Natália, olha os únicos que estão com restrição para tomar são os que os médicos orientam a não tomar e os que tiveram surtos há 6 meses. No entanto também fiquei com receio, mas tem uma semana que tomei e não tive nenhuma reação.
      Acho que se o médico dela liberou, pode ficar sossegada.
      Boa sorte pra ela !
      Tudo dará certo !!!
      Beijos
      Fabi

      Excluir
  4. Oi Fabiana. Sou a Maria helena e Minha filha teve a confirmação a pouco tempo de esclerose multipla, mas o médico não tem pacientes em tratamento c esclerose, ai marquei consulta c o Dr. Amilton Barreira de Ribeirão Preto, mas já desmarcou a consulta várias vezes, como ela estuda na Ufscar e vc cita Sao Carlos, poderia me indicar o médico que vc trata ou sabe de algum médico aqui por perto , que seja porreta nesse assunto. Minha filha ainda não está sendo medicada e teve só um surto até hj.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria Helena, tenho uma neurologista aqui mesmo em São Carlos que me dá todo o apoio, em quem confio muito, Dra Roberta Zago, você é de Ribeirão Preto ou de outra cidade ? O problema é que ela atende em dois consultórios, um pela Unimed e outro particular.
      Acredito que na urgência, você vai conseguir no particular.

      Encaminho os números de telefone:
      16 3372 4841
      16 3419-5819

      Espero ter ajudado.
      Boa sorte!!!
      Bjs
      Fabi

      Excluir
    2. Oi Fabiana. Obrigada, ajudou muito sim. Nós moramos em Araraquara, e a Beatriz(minha filha) estuda ai na Ufscar(faz Fisioterapia), fica a semana toda em S Carlos. Não senti muito firmeza nos médicos de Araraquara. Parece que não tem muitos pacientes de esclerose, e o q eu quero nesse momento é um médico que tenha pacientes c essa doença, q tenham experiencia no assunto. Sei de uma moça que trata aqui com o dr. Jose Paulo Luz Lima, mas não sei se levo nele.
      O médico que deu o diagnostico é do Albert Einstein, paguei particular, fizemos os exames pelo meu convenio, e confirmou que trata-se de esclerose(faz um mes), mas como ela só teve uma diplopia (o unico surto até agora), e na segunda ressonância não houve alteração, ele não prescreveu medicação, disse que prefere acompanhar a cada seis meses, mas ele não tem pacientes de esclerose e tenho medo de deixar e um dia me arrepender. Me orientou até se eu quiser levar num especialista e disse que Ribeirão Preto é referência nesse assunto.
      Vc já ouviu falar no Dr Amilton Antunes Barreira, professor da Usp Rib. Preto? Parece que conhece td de esclerose, mas já desmarcou várias vezes a consulta que marquei. Hj era o dia da consulta, e desmarcou mais uma vez, agora ficou p 30/06. Vou aguardar mais esta vez, se não der certo preciso partir p outra alternativa.
      Dr Amilton nos atendeu em 30/06 e pediu p refazer o exame de liquor e sangue p fechar um diagnóstico, pq ela já teve herpes zoster e ele acha que pode ter uma ligação.
      Qual é o médico que vc trata em S Paulo, que vc chama no blog de seu doutorzinho? Ele é acessível?
      Vc me desculpa tantas perguntas, mas acho que vou precisar muito das suas dicas, vou ler seus posts antigos e td que puder sobre essa doença, mas não quero que a Bia, q tem 20 anos, fique se torturando. As vezes penso, e se ela nunca mais tiver nada, será que é possivel?
      Estou meio perdida ainda c td isso, sem saber o que fazer.
      Obrigada Um Abraço
      Maria Helena L F Luiz

      Excluir
  5. Oi Maria Helena,
    Bom no Einstein fiz a primeira dose do fingolimode que precisa ser hospital com o Dr Rodrigo Thomaz, que faz parte da equipe do meu neuro no Einstein, tem experiência em EM tranquilamente. O meu neuro é particular, nao é barato, porém muito tranquilizador, esclarecedor, atencioso, bom sou suspeita para falar desses profissionais que me ajudam. Costumo dizer que é um investimento de vida, ainda mais depois de tanto tempo passo pela consulta com ele bem menos. Dr Alberto Alain Gabbai
    Afinal tenho a Dra Roberta Zago que me apoia o tempo inteiro por aqui mesmo.
    Sobre o Dr Amilton, se não me engano está na pesquisa sobre transplante de células tronco, deve ser muito procurado mesmo. Em Ribeirão a Dra Roberta comenta da Dra Vanessa que está com os pacientes de EM, inclusive tenho amigos que passam por ela.
    Sobre a sua preocupação, acho muito válida, pois cada dia mais ouvimos quanto antes medicar melhor será o prognóstico desse paciente.

    Se houver algo que eu possa ajudar, estou aqui.
    Grande beijo
    Fabi

    ResponderExcluir

Qualidade Vivida

Qualidade Vivida
Qualidade Vivida