Google + EU, A ESCLEROSE MÚLTIPLA E O RIO DE JANEIRO ~ A VIDA COM ESCLEROSE MÚLTIPLA

Youtube

24 de jan de 2014

EU, A ESCLEROSE MÚLTIPLA E O RIO DE JANEIRO

Oi gente tudo bem com vocês? Comigo está tudo bem, tirei umas férias de um pouquinho de tudo, até do nosso cantinho né? Faz tempo que não dou o ar da graça por aqui!
O natal foi um momento delicioso com toda a família reunida e com a participação especial do Papai Noel, isso mesmo, meu cunhado fez a alegria das crianças e veio a caráter proporcionando um momento inesquecível na cabecinha da pequena e uma bagunça pras maiores e uma grande diversão para as grandonas....rs
Depois eu e o Baby fomos viajar. Tenho amigos de infância que moram no Rio de Janeiro e que sempre nos convidaram pra ir pra lá mas nunca dava certo. Nesse ano conseguimos nos organizar e conseguimos rever esses grandes amigos e conhecer a cidade Maravilhosa.
Confesso que quando tudo já estava resolvido havia duas grandes preocupações, a primeira era como será viajar e ficar na casa de alguém que desconhece as minhas limitações, sim sei que graças a Deus são poucas essas limitações, mas que existem existem. Andar devagar, ter essa super sensibilidade ao calor, fadigar com alguma atividade ou nenhuma....rs e por aí vai. Essa era a maior das preocupações, queria conhecer tuuudo, andar pela cidade inteira, passear pela Guanabara, andar de bondinho, ver o “Crixto”, comer um docinho na confeitaria Colombo e seguir os roteiros que nossos amigos tinham pensado pra gente.
Depois era o verão do Rio, aquele calor de 50º graus, uma cidade litorânea ou seja, o calor é húmido é um calor pior ainda, ficava imaginando tudo que tinha vontade de fazer dentro do caldeirão da bruxa......rs.
Bem nesse um mês convivi mais intensamente com a nossa companheira diária, chegando ao Rio o meu amigo já levou o ar condicionado portátil dele pro Apt. de sua irmã (dois andares abaixo) pra gente usar, o que foi uma bondade divina....rs
Aí foi a primeira noite, saímos de “jipão” (é o jeito que a pequena do meu amigo chama o carro dele) e partimos rumo a Lagoa Rodrigo de Freitas pra ver a linda árvore de Natal dentro da lagoa e chegamos em Ipanema para passear e comer alguma coisa. Lógico que o lugar estava muito cheio para estacionar o carro, então ele me perguntou se eu aguentava ir a pé pela calçada da praia, ele disse que eram 2 quarteirões, mas nem imagino quantos eu fui caminhando no meu ritmo e contemplando aquela riqueza da natureza, cheguei mas fui logo pedindo com jeitinho : “Na volta você pode pegar o carro?rs”
O casal tem uma pequena, linda de 4 anos, então provavelmente a gente voltaria de carro, mas...
Foi nessa caminhada que meus amigos puderam ver o ritmo das minhas caminhadas e como me canso mais facilmente que outros. Nessa mesma noite, o meu amigo me disse que ir ao Réveillon de Copacabana no esquema ir assistir aos fogos e voltar, seria loucura e eu e o Baby estávamos morrendo de medo.
Mas por fim a mãe deles que fazia mais de 20 anos que eu não a via resolveu vir de Búzios pra ver os fogos de Copacabana junto
com o seu tio de 97 anos só porque nós iríamos com ela, ou seja, nós éramos a única opção de companhia pra ela o que pra mim foi ótimo, porque assim o medo daquele perrengue de filas quilométricas, metros lotados, horas em pé, transtorno, multidão se transformou em um desafio, um desafio que por sinal foi incrível, foi um desafio pra todos que estavam naquele “barco”. A dona Francisca (mãe dos meus amigos) com seu cuidado e preocupação comigo sugeriu que levássemos um banquinho a tira colo pra que eu me sentasse na hora que eu precisasse, o que foi super providencial todo o tempo, mas na volta no metro acabei ficando sem lugar para me sentar e aí ela abriu o banquinho e disse: “Senta aqui mesmo!” Ela foi incrível!!!! Pra que não perdêssemos os fogos em Copa, na hora que descemos do metro ela pegou na minha mão e me puxou numa velocidade que a adrenalina e a ansiedade de chegar à beira da praia pra ver aquele espetáculo de luz eram tão grande que pareceu que ganhei asas. Chegamos alguns minutos antes de virar o ano e começar o maior Réveillon do mundo. Gente que coisa linda aquele céu inteiro iluminado por lindos fogos coloridos, cada minuto uma imagem diferente, corações, cupidos, rosas, buquês, estrelas e por aí vai.

Antes de partir pro Rio tinha feito um roteirinho dos lugares que tinha vontade de conhecer e como marinheira de primeira viagem não podia faltar os pontos turísticos (que por sinal são maravilhosos) porém janeiro, verão, férias, o Rio está transbordando de turistas, no dia de subir no morro da Urca, andar de bondinho eu quase desisti chegamos lá eu, Baby, Frank e sua pequena todos empolgados eu extasiada com a beleza dos morros e eles de olho no lugar onde comprar o bilhete. Quando dei por mim, era uma fila que não tinha fim, ela dava voltas e o Baby contabilizou mias de 2 horas naquela fila, ou seja, “as pequenas” eu e Ana Lis não íamos aguentar nem uma hora naquele calor de 50 Cº mais do que depressa  o Baby sacou da carteira a minha carteirinha da ABEM e foi no posto de informações que nos mandou entrar por baixo da corda e comprar o bilhete de PNE e entrar numa outra fila muiiito menor.
Graças a minha companheira diária pude andar no bondinho do Pão de Açúcar, ver mais uma bela paisagem, sentir o vento gostoso rasgando o meu rosto, passar uma tarde maravilhosa, tomar um picolé nas alturas com a Ana Lis, levar mais um momento inesquecível de tantos pra dentro do meu baú.
Bom, em todo o nosso tour pelo Rio tive além das deliciosas companhias dos meus amigos uma atenção especial, uma compreensão enorme com as minhas limitações, todos os dias a minha amiga Carlitcha me perguntava como eu estava para programar o passeio ou dar a dica do que a gente podia fazer junto do seu irmão Frank e a pequena ou então eu e o Baby a gente se mandava, andava um quarteirão e pegava um táxi (que por sinal amei o preço) e andava até o local desejado.

Gente vou parar por aqui, porque o meu trabalho hoje está acabando comigo!!!

 Depoix conto maix aventurax carioqueixxx..... amo esse sotaque....rs

Um milhão de beijinhox e até maix..

Mesmo sendo clichê não dá pra deixar de colocar aqui para meus leitores queridos: E o Rio de Janeiro continua lindo, continua sendo...
E Cristo Redentor braços abertos sobre a Guanabara, esse samba é só porque Rio eu gosto de você...
Cidade Maravilhosa cheia de encantos mil, Cidade Maravilhosa coração do meu Brasil...
Copacabana princesinha do mar, pelas manhãs tu és a vida a cantar...
Rio 40 graus...

4 comentários :

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Amiga fico feliz em saber que tuas férias foram tão maravilhosas como é a cidade do Rio de Janeiro!
    Amooooooo o Rio!!!
    Em janeiro de 89 e fevereiro de 90, nas minhas férias, realizei um grande sonho: fui ao Rio. Eu ainda não tinha EM.
    Foi demais! Fiz o passeio no bondinho do Pão de Açúcar, inesquecível; fui ver o Cristo, emocionante; fui a Paquetá, onde aluguei uma bicicleta por 2 horas e fiz a volta na ilha, que é lindíssima; fui a pedra da gávea; conheci várias praias; fui à Confeitaria Colombo; conheci o arquivo histórico da Rádio Nacional; assisti a um show incrível, com Caetano cantando todo o seu belo repertório, ao ar livre, no Forte de Copacabana, sob uma lua cheia deslumbrante.
    Todos os dias eu ia a Copacabana (minha paixão) onde fiz aulas de Lambada, 3 horas por dia, por 20 dias. Adorava! Na volta dei aula de lambada em Porto Alegre, em duas academias.
    O mais legal é que eu ficava hospedada num Albergue da Juventude, na Glória, onde conheci e fiz amizade com pessoas de vários países. Para teres uma ideia, namorei um iraquiano, um italiano, um carioca e um chileno que já morava há muitos anos no Rio. Nem preciso dizer que me diverti muito, né?!! Mas sempre com muita responsabilidade. Ehehehehehehehehe...
    Sou apaixonada pelo Rio e morro de pena que naquela cidade tão linda haja tanta violência!
    Nossa como eu falei, disculpinha... ehehehehe...
    Beijinhos amada <3

    ResponderExcluir
  3. PS.: Lindas, tu e as fotos!
    Beijocas.

    ResponderExcluir
  4. Querida Neyra amo as suas histórias, viajo junto de você a cada vez que me conta um pouquinho da sua vida!!!
    Obrigada por esse depoimento histórico no nosso cantinho!!!
    Beijão lindona <3

    ResponderExcluir

Qualidade Vivida

Qualidade Vivida
Qualidade Vivida