Google + O QUE FAZER QUANDO NÃO SE SABE O QUE FAZER? ~ A VIDA COM ESCLEROSE MÚLTIPLA

Youtube

21 de set de 2010

O QUE FAZER QUANDO NÃO SE SABE O QUE FAZER?

Oi gente tudo certinho por aí? Por aqui, estamos todos bem! Passamos muito bem o fim de semana, com amigos na nossa casa.
Bom, na sexta-feira recebi e entreguei o medicamento que consegui através de uma doação e minha companheira que a recebeu ficou bem mais tranquila e feliz. 
Bom gente vocês se lembram quando disse que tentei contatar todos que conheço para ajudar a Anieli? Ou melhor, todo o drama que passamos quando ela me ligou pedindo ajuda. Pra quem quiser lembrar é só dar um clique aqui.
Pois é, claro que não é a mesma coisa se fosse o meu, mas não podemos esquecer que o estado emocional reage a nossa amiga EM, ou seja, ficar nervosa piora tudo, então procurei acalmá-la. 
Aqui quero colocar o que a gente precisa pra não ficar tão nervosa, quem sabe dá certo!
Então vamos lá, a semana que passou recebi um email para as associações do meu amiguinho do laboratório TEVA informando onde devemos nos queixar em caso da falta do medicamento. Sabemos que a aquisião dos medicamentos de alto custo passou a ser responsabilidade do Ministério da Saúde a partir de junho desse ano e que isso poderia causar esse problemão.
Aí ele especifica o problema: "Todos os medicamentos de alto custo adquiridos pelo Ministério da Saúde (MS) seguem para Brasília e este se responsabiliza por enviar as quantidades solicitadas (de cada medicamento por nome e apresentação) pelas Secretarias de Estado da Saúde (SES) de cada Estado para um local único (no caso de São Paulo é a FURP).
Então, o Estado faz a distribuição para cada Farmácia de acordo com a demanda de cada medicamento.
O processo ficou mais lento, mais caro, sujeito a erros de informatização (ocorre o fato de alguns medicamentos, por exemplo, não serem solicitados pela SES para o Ministério e o estoque fica ‘ZERADO”) e a falta gera prejuízos principalmente para o doente, prejuízos esses relacionados à sua saúde e também emocionais. Seus cuidadores também sofrem com os problemas que a quebra da cadeia de distribuição, seja onde for que ocorra, gera.
Depois nos indica telefones, sites, emails pra gente fazer as queixas e reclamações.
1) Ouvidoria da Secretaria de Estado da Saúde do Estado de São Paulo:
Telefone: - (11) 3066-8684
2) Assistência Farmacêutica / Ministério da Saúde (MS) – Brasília/DF
E-mail - * cgmedex.daf@saude.gov.br
É necessário incluir no e-mail as seguintes informações:
a- Nome completo
b- Local onde o paciente retira a medicação (Cidade onde fica a Farmácia)
Observação: - Se a pessoa mora em Jundiaí, mesmo que a Farmácia Municipal de Jundiaí pegue a medicação para ela em Campinas, ela deve informar o nome Campinas.
c- Relato do problema.
3) Assistência Farmacêutica / Ministério da Saúde (MS) – Brasília/DF
Telefone: - (61) 3315-3865 ou (61) 3315-3979
4) A reclamação/queixa também pode ser feita por e-mail no site do Ministério da Saúde (MS).
O endereço do site é http://189.28.128.122:9443/ouvidorsus_producao/CadastroDemandaPortal.do%20.
Eles enviam um e-mail automático com nº do protocolo e uma senha para que a pessoa queixosa acompanhe o andamento das supostas providências tomadas.
Acompanhem o retorno que as pessoas tiverem dos diferentes órgãos ou mesmo justificativas.

Peçam para que anotem o nome da pessoa com quem falou e o retorno que deram (na hora ou posteriormente).
As pessoas têm o direito de serem bem tratadas e o Estado a obrigação de tratar bem a todos.
Gostaria de ter retorno de vocês para que possamos, juntos, atuar prontamente."

Gente como esse email é destinado as associações de pacientes, ele me enviou pois confia que vamos montar a nossa Associação São Carlense de Esclerose Múltipla mas também conhece o nosso trabalho aqui no blog, até por isso achei melhor modificar o nome.
Peço a todos vocês que divulguem as informações!!!
Por hoje é só pessoal!!!
Muitos beijos e até a próxima!!!

4 comentários :

  1. Otimo post Baby, essas informações são importantissimas para as pessoas que estão tendo este problema de falta de medicação...
    Um Beijão
    Baby

    ResponderExcluir
  2. É Baby você mais do que ninguém sabe como me preocupo com isso né???

    Beijão mon amour

    ResponderExcluir
  3. Oi Fabiana!!!
    Obrigada pelas informações.
    Minha mãe recebe pela Farmácia de Remédios Especiais, aqui de Porto Alegre, um medicamento para o colesterol.
    O processo de pedido foi feito junto a Secretaria de Saúde do Estado do RS.
    Este mês o remédio está em falta e sem previsão.
    Sabes se é o mesmo caso???
    Um grande beijo
    da Neyra.

    ResponderExcluir
  4. ESTES MEDICAMENTOS ESTAUM MOFANDO NO DAF:(DIVISÃO DE ASSISTENCIA FARMACEUTICA DO ESTADO)DEVIDO A MA ADMINISTRAÇÃO QUE OCORRE NESSE LOCAL DE DESTRIBUIÇÃO DE MEDICAMENTOS DO ESTADO.
    LA FUNCIONARIOS TERCERIZADOS CHEGAM A TRABALHAR SEMANAS COM SALARIOS ATRAZADOS,SEM RECEBER VALE TRANSPORTE E VALE REFEIÇÃO E AINDA SÃO AMEAÇADOS DE DEMISSÃO EM CASO DE FALTAREM AO SERVIÇO.MILHARES DE PESSOAS DEPENDEM DESSES MEDICAMENTOS QUE MOFAM ATÉ VENCER LA DENTRO.
    FARMACEUTICAS INCOMPETENTES SEM CONHECIMENTO NO SETOR DE ALMOXARIFADO NÃO ESTÃO NEM UM POUCO PREOCUPADAS, PASSAM DIA INTEIRO NA INTERNET,TOMANDO CHIMARRÃO E CHÁ.

    ResponderExcluir

Qualidade Vivida

Qualidade Vivida
Qualidade Vivida