Google + E²= ESTRESSE + ESCLEROSE MÚLTIPLA= A PIORA DE TUDO ~ A VIDA COM ESCLEROSE MÚLTIPLA

Youtube

25 de fev de 2010


Oi gente, tudo bem? Aqui está tudo bem. Virou uma ventania de dar medo agora pouco mas, pelo menos refresca um pouco.
Bom, agora que as minhas loucuras de Piracicaba (atribuição, readaptação,licença saúde) foram parcialmente resolvidas, posso escrever aqui para vocês sobre um assunto que é fundamental em nossas vidas tanto para os que tem esclerose múltipla quanto para aqueles que não tem. O estresse. 
Para os meus queridos leitores que acompanharam a minha história puderam sentir a dificuldade que tive em lidar com os sintomas de EM acompanhados do estresse.
Pois bem, sabemos que o nervoso não faz bem a ninguém, muito menos pra quem tem EM.
Quando eu passo por alguma situação de estresse e fico nervosa, começo a sentir tontura é o primeiro sinal que vou passar mal, se eu não conseguir me acalmar começa me dar náuseas, depois vem os formigamentos. Mas é só sair daquele local e me desligar um pouco que os sintomas melhoram. O pior mesmo é a fadiga acompanhada de estresse, como já contei aqui, eu demoro mais de uma semana para me recuperar totalmente.
O estresse é um mal da vida moderna que afeta diretamente a nossa saúde e torna o sistema imunológico  mais fraco deixando-o mais vulnerável para infecções o que pra nós esclerosados é muito ruim, pois um surto pode ser desencadeado de um estresse psicossocial ou um estresse biológico.

Esse mês recebi uma revista informativa "InfoPACO" do laboratório TEVA que fornece o meu medicamento o "COPAXONE". Acredito que por ser um período muito estressante para todos o início do ano tinha um artigo muito interessante do Dr. Rodrigo Thomaz neurologista da Santa Casa de São Paulo e do Hospital Albert Einstein sobre o papel do estresse na ocorrência do surto.
Nesse artigo o Dr. Rodrigo fala desses tipos de estresse, o psicossocial que seria o que está relacionado aos eventos essenciais na vida de uma pessoa, como a perda de um familiar, a perda do emprego, um divórcio ou até mesmo o próprio diagnóstico da doença. Já o estresse biológico é o que está relacionado com a nossa saúde. Então o estresse gerado por uma infecção pode estar relacionado a ocorrência de surtos.
Um ponto animador e positivo que o artigo trabalha é que o estresse é um agente que nós podemos controlar. Mas agora vocês devem estar se perguntando o que podemos fazer pra não passar por estresse?
Bom, concordo com as palavras do médico, o que piora o estresse é como a gente encara isso.
No meu caso em Piracicaba, quando percebi que era a gota d´água e eu ía ficar muito p* de ter que voltar lá depois de tanto estresse, calor e cansaço e eu nem tinha condições de retornar na segunda, comecei a colocar pra fora tudo aquilo que tinha segurado até então. Chorei e chorei mesmo, encontrei um jeito de descarregar o estresse e resolver o meu problema naquela hora. Chorei sim, na frente de todos e me fiz sim de vítima senão eu ia mesmo surtar viu!
E o que o Dr. Rodrigo recomenda é saber lidar com esses agentes externos de estresse sem estressar demais, com as minhas palavras ele quis dizer pra gente "não dar ibope", não super valorizar o estresse. Ou seja, descarregar, desligar, não ficar com aquilo na cabeça, não ser explosivo por uma coisa que não vale a pena.
No meu ponto de vista o mais importante é a saúde, acima de qualquer coisa. Por isso, não deixo mais qualquer um me tirar do sério, respiro fundo e peço com educação se não der certo desencano naquele instante e deixo pra depois, mas sem ficar pensando naquilo.
O nosso lado emocional é essencial para o tratamento diz o artigo, alguns estudos mostram que a esclerose múltipla se desenvolve de forma mais leve, ou menos agressiva, em pacientes que enfrentam melhor as situações de estresse. Geralmente, essas pessoas têm surtos mais brandos ou até mesmo não desenvolvem surtos. O que também contribui muito para a aceitação da doença.
Comprova-se isso com as palavras do especialista Dr. Rodrigo Thomaz " Nós percebemos claramente que quem lida melhor com o diagnóstico e com o tratamento tem melhor controle da doença e, consequentemente, mais qualidade de vida".
Quanto atingir a tranquilidade ou o controle do seu emocional, o especialista recomenda o auxílio de terapia (o que eu acho essencial nas nossas vidas) e outras técnicas que lidam com o nosso emocional.
Posso dizer, acupuntura é muito bom (até preciso fazer),ioga, música, filme e um bichinho lindo de estimação. Isso tudo já nos torna menos estressados e mais alegres, o que ajuda muito na vida de quem tem a esclerose múltipla como companheira ou qualquer outra doença.
Por isso queridos não vamos deixar o estresse esse "monstro da modernidade" acabar com a nossa alegria de viver e viver bem! Não se esqueçam disso quando estiverem parados no engarrafamento, ou levar uma cortada no trânsito certo? Hehehehehe

Não sei gente se consegui tratar de um assunto tão extenso em poucas linhas, mas espero que tenha contribuído. Ainda tem mais mas deixo pro próximo post, OK?

Muitos beijinhos e até amanhã....

FONTE:
 Revista InfoPACO, Edição 11-Ano 3- Fev 2010
Produzida pela TEVA farmacêutica Ltda.

4 comentários :

  1. Nossa muito legal esse artigo!!! Tem algum link pra acessar ele na internet? Seria muito legal colocar ele aqui na íntegra. Gostaria de dar para um amigo ler!!! Ele tem EM e esse tipo de leitura é imp.!
    Valeu, bjs.

    ResponderExcluir
  2. Oi Carola tudo bem? Muito legal a sua preocupação, mas o artigo eu retirei de uma revista que eu recebo porque uso o medicamento. Mas posso escanear para você e te enviar por email.
    Me mande um email no fabianadalri@gmail.com.
    Obrigada por seu comentário.
    Bjs
    Fabí

    ResponderExcluir
  3. Oi Fabiana, tudo bem? tbm gostaria de ter o artigo - ou mesmo a revista - na íntegra. vc poderia me ajudar? tenho tido problemas com a diretora da escola onde trabalho coomo professora readaptada, pq ela não entende o papel da fadiga na EM e continua a me pressionar a fazer tarefas das quais não dou mais conta. um documento deste tipo viria bem a calhar ;o) meu email é daniflopes@terra.com.br beijos e obrigada, Dani Lopes

    ResponderExcluir
  4. AMEI O ARTIGO...TENHO EM TAMBEM,E FAÇO TRATAMENTO COM O COPAXONE...E ACHEI SUPER INTERESSANTE O RELATO SOBRE O STRESS NA ESCLEROSE MULTIPLA...

    ResponderExcluir

Qualidade Vivida

Qualidade Vivida
Qualidade Vivida